JCast Mark I #16 – The Cove e a caça às baleias

Continuando o revival do Mark I, um assunto bastante denso: a tão falada polêmica quanto à caça de baleias no Japão. Explicamos toda a situação, demos nossa opinião pessoal e aproveitamos para comentar sobre o documentário que ganhou o Oscar 2010, The Cove. Confiram!

(00:00:32-00:35:06) Caça às baleias

O Japão mata baleias, e é bastante direto em afirmar que isso faz parte de sua cultura, assim como faz parte da nossa matar bois. Será que esse argumento realmente é válido? Aqui, demos todo um panorama da caça às baleias em todo o mundo, como isso é regulado. Afinal, quem é o grande vilão aqui?

Baleias na Bíblia: Jonas  e o “grande peixe” (sim, não era viagem do Laivin!)

(00:35:20-01:09:45) The Cove

The Cove ganhou o Oscar de Melhor Documentário em 2010 mas, afinal, ele é isso tudo? Particularmente, nós o achamos parcial demais, apesar de mesmo assim ser um ótimo documentário, tanto no sentido de entreter quanto no de informar. Mas, como nós somos uma mídia completamente imparcial (CAHAM!), não vamos induzí-los emocionalmente a concordar conosco.

Golfinho Militar Espião
Trailer de The Cove

Semana que vem, pelo visto, teremos um News, então aproveitem pra mandar bastante emails! Qual o endereço?  [email protected]! Nos digam suas opiniões sobre a caça às baleias, sobre ativistas, sobre japoneses e sobre golfinhos espiões, que leremos na semana que vem. Até logo, e obrigado pelos peixes!

O JCast Mark I #16 foi embalado ao som de:

Shiina Ringo – Sanmon Gossip e Ringo no Uta

Sanmon Gossip é o album mais recente de minha deusa, seguindo a tradição de ser algo completamente diferente dos outros discos. Particularmente, gostei muito, e o achei bem revigorante, agindo como “healing music” pra minha psique perturbada. Já o Ringo no Uta foi o último album da primeira fase da carreira solo da Ringo, antes do Tokyo Jihen, e que já foi usado como tapa-buraco no JCast anteriormente. Curiosamente, ambos possuem minha musa com bastante pele exposta na capa. Seria esse um ato inconsciente?

Play

JCast Mark I #15 – Xogunato Kamakura e Ashikaga

E depois de longos milênios, eis que está de volta o Mark I! E não só de volta, comotambém falando da história de nossa querida ilha oriental. Como foi o processo de instauração de um sistema “feudal” no Japão? Isso e algumas outras coisas são desvendadas ao longo desse programa!

(00:00:53-00:08:15) Introdução

Devaneios, como sempre. Todo programa a gente perde mais tempo falando sobre nada, daqui a pouco tomará a edição inteira. Descubra aqui uma análise sobre as cantoras que exploram o corpo e um pequeno review de Percy Jackson: O Ladrão de Raios.

(00:08:31-00:27:08) Xogunato Kamakura

Antes de descobrir a guerra, o povo japonês resumia suas atividades à fazer chá, tecer roupas, pintar e escrever seus complicadíssimos caracteres. Depois da guerra, o Japão entrou em um longo processo de instauração de um sistema similar ao feudalismo europeu, e o Xogunato Kamakura foi a primeira fase. Seria a cidade de Bleach a sede do primeiro Xogunato?

(00:27:19-00:42:03) Xogunato Ashikaga

O clã Hojo confiou nos seus aliados, e levou ferro. Seu general Ashikaga tomou ao poder, se aliando ao Imperador e se tornando o novo Shogun (até escrevo Xogunato, mas Xogum já é pedir demais!), aliado ao Império. Descubra como isso tudo deu em um dos períodos mais sangrentos da história do Japão, que comentaremos em detalhes no futuro.

(00:42:20-00:43:40) Término

Aqui nós vamos embora, sem muita enrolação. Tchau pra vocês!

Logo teremos outro Mark I concluindo o assunto, focando só no período Tokugawa, que culmina no Bakumatsu e, consequente, na Restauração Meiji. Erramos em algo? Sugestões? Dúvidas? Pizzas médias de Pepperoni? Entre em contato pelo email [email protected], e até semana que vem!

O JCast Mark I #15 foi embalado ao som de:

Onmyouza – Chimimouryou

Nunca dei muita bola pra Onmyouza, mas pra não usar Kagrra, novamente em mais um JCast histórico, resolvi colocá-los aqui. Resultado: o som pesado deu um clima interessante pro falatório histórico, o que significa que eles voltam, provavelmente quando falarmos de Sengoku. Curiosidade: as roupas que a banda usam são do Período Heian, que culminou no primeiro Xogunato. Claro que eu sabia disso, óbvio que foi uma escolha proposital!

Play

JCast Mark I #14

A idéia de desbravar os gêneros dos mangás, dando uma visão mais crítica e detalhada de um assunto já tão desgastado, surgiu do nada, quando o Laivindil resolveu gravar um bloco sobre gekigá. E ela não foi abandonada! Nesse bloco tratamos de shonen, os mangás pra garotinhos, em meio à muitos desvios de assunto envolvendo Latino e desenhos em CG. Confirma!

(00:01:16-00:56:09) Shonen

Retomamos nossa série de gêneros dos mangás com, vejam só, o gênero pelo qual todos provavelmente começariam: Shonen. Mas de que falaremos? Naruto? Claro que não! Nesse bloco detalhamos as principais antologias do gênero, além de subdividí-los em estilos, de uma forma bem informal. Quais séries foram importantes para a evolução do gênero? Afinal, como a Shonen Jump virou isso tudo que é hoje? O Latino é realmente um marco da música popular brasileira contemporânea? Escutem e descubram!

Não escutem o final do programa sozinhos em local escuro, ou provavelmente se borrarão de medo. Ah, e não é nenhuma propaganda satanista ou ateística, joguem parte do texto no google e vocês descobriram que é um texto completamente at random. Semana que vem tem o último JCast de 2009! Enquanto isso, mande emails para [email protected]

O JCast Mark I #14 foi embalado ao som de:

Kinnikuman Original Soundtrack

Só pra irritar o Laivindil, toda a edição foi editada ao som da trilha sonora original do anime de Kinnikuman, de 1983. E cara, ela é boa pra caramba! Passei a tarde ouvindo todas as músicas, recomendo pra qualquer pessoa que goste de trilhas sonoras e não tenha preconceito com material antigo.

Play

JCast Mark I #13

Depois de meses e meses, retomamos a saudável prática da leitura de emails! Ela agora será constante, todo arco de Mark I terá um programa dedicado aos emails relacionados a todos os programas anteriores. Nesse, lemos os emails e alguns comentários do, Goes Off 2, do arco Reviews arco de Reviews 17-23, e dos Mark I 11 e 12, além de dois blocos curtinhos que não dariam um podcast próprio. Confiram!

(00:01:23-00:19:24) Primeira parte da leitura de emails e comentários

Começamos aqui nossa jornada através dos emails mais interessantes que surgiram em nossa caixa de entrada, além de um outro comentário. Nessa parte foram lidos os emails e comentários de Hiago Vieira, Dimensão Convites, Mariana Oliveira, Dri Sweetpepper, Gustavo Kitagawa, Stephany, Cáren e André Nunes de Lima.

(00:19:42-00:37:07) Sistema de publicação de mangás e exibição de animes

A gente sempre comenta, mas nunca explicou muito bem. Como é essa história de tankohon? Porque Evangelion só sai uma vez ao ano? O que é essa tal de antologia? E os animes, tem temporadas? Tudo isso está corridamente detalhado nesse bloco, escute e, se for o seu caso, pare de boiar quando falamos sobre isso!

(00:37:29-00:62:41) Segunda parte da leitura de emails e comentários

Na segunda parte, mais devaneios e desvio de assuntos, com os emails de Cristhian Juniti Suematsu, Patricia Tommi, Danilo Tavares e Hiago Vieira. Desculpem-nos pelo furacão que toma a cena em alguns minutos do bloco, é o nosso ventilador. Tá um calor infernal, pitombas!

(01:03:36-01:10:40) Moe!

Ah, o saudoso bloco de moe. Não, ele não morreu! Nesse bloco matamos vários moes da nossa listinha, então não dá pra saber direito quando teremos uma nova lista grande o suficiente pra um novo bloco. Saiba tudo sobre moe em família, além dos vários tipos de calcinhas que fazem os otakus babarem.

(01:10:49-01:26:30) Terceira parte da leitura de emails e comentários

Era pra ter um bloco de moe entre a segunda e a terceira parte, mas o programa ficou grande demais. Fica pra tapar buraco do próximo, se ficar muito curto. Mesmo assim, escolhi manter a divisão em blocos, com uma pequena pausa pra respirar, com os emails de Yuki Moon, Ismael Pereira, Victor Zucconi, Yagami Zero e Rubens Carvalho. O furacão persiste nos primeiros minutos desse bloco, mas logo se dissipa, e tudo volta ao normal.

Então é isso, até semana que vem, e enviem emails para [email protected] Prometemos que dessa vez não demoraremos 6 meses pra ler.

O JCast Mark I #13 foi embalado ao som de:

OverClocked ReMix – Humans + Gears: Xenogears Remixed

Xenogears é, sem sombra de dúvidas, o rpg mais mal aproveitado da história. A história é maravilhosa e, mesmo com um segundo disco feito às pressas e sem muito orçamento, o primeiro jogo é, sem dúvida alguma, o meu rpg favorito de todos os tempos. De lá pra cá a série se tornou Xenosaga, e todo o plano inicial se perdeu no meio de várias trocas de empresa e equipe. Mas minha felicidade ao ver que o excelente site OCRemix, especializado em remixes de games, tinha feito um album duplo destinado ao jogo foi indescritível. E é por isso que todo o programa é embalado pela excelente trilha sonora do meu rpg favorito, nesse cd indescritível, que me traz ótimas e saudosas lembranças.

Play

JCast Mark I #12

E o JCast volta, em uma continuação direta da edição anterior! Na verdade era pra ser só um programa sobre Happy Science e sua investida na política, mas o assunto acabou estendendo demais, por isso as duas edições. Escutem, e entendam tudo sobre a Yggdrasil latina do Hueco Mundo, além de descobrir quem é Deus e quem é um mero Buda Cósmico.

(00:01:58-00:52:17) Happy Realization Party e Happy Science

Esse programa me confundiu. Ao mesmo tempo que temos o Luan fazendo uma análise política séria da plataforma do partido New Age HRP, ou Happy Realization Party, também estamos falando mais besteira do que nunca. Conheçam essa bizarríssima Nova Religião japonesa (que nem é tão nova assim), que estende suas ações para todo o mundo, inclusive nosso Brasil Varonil. Conheça também a investida política de tal grupo, com uma análise detalhada de sua plataforma política. Descubra se o Bispo Macedo e, consequentemente, a Menina Pastora Louca são Budas Cósmicos, se El Cantare é Deus e El Volare é o Diabo e como falar “nasal” em alemão! E eu juro que não usamos nenhum tipo de substância alucinógena durante a gravação.

Happy Science no Brasil
Blog em português da “Ciência da Felicidade”
Vídeo sobre a Happy Science
Trecho de Laws of Eternity (Anime da Happy Science)
Trailer de Rebirth of Buddha (Anime da Happy Science)
Laws of Eternity completo em Torrent

Semana que vem tem leitura de emails! Por isso, se quiserem dizer algo sobre qualquer uma das edições que se passaram desde que voltamos a ser semanais, mande um email pra [email protected] o mais rápido possível, pois gravaremos nesse domingo.

O JCast Mark I #12 foi embalado ao som de:

Naomi & Goro – Turn Turn Turn

Pra ser sincero, eu ainda não sei muito bem quem são Naomi e Goro. Informações sobre eles na internet são raríssimas, e como os descobri recentemente, nem pesquisei muito. Mas o que realmente importa é que eles são japoneses que tocam Bossa Nova! E com muitas músicas em português, o que é fofíssimo, pois desde a Shiina Ringo cantando Manhã de Carnaval eu me apaixonei por japonesas cantando em português torto.

Shiina Ringo – Ringo no Uta

O “último” single da carreira solo de minha musa inspiradora que habita permanentemente minha mente (ente ente), fechando o bloco que Naomi & Goro não conseguiram cobrir todo. “Último” com aspas porque nos últimos anos ela voltou a lançar alguns cds solos, sem o Tokyo Jihen. Tenho uma certa nostalgia por esse single, por ter sido o primeiro dela que tive contato, tirando Tokyo no Onna, música que ficou anos no meu computador e só fui dar atenção tempos depois.

Play

JCast Mark I #11

Marcando nossa estreia na Kombo, uma série de Mark I vos espera! Pra quem escuta pelo site do JCast, nada muda: os episódios continuarão saindo lá, pra ouvir e baixar, e também no feed. E nada melhor pra começar um Mark I do que…política!

(00:01:13-00:39:52) Eleições 2009 no Japão

Todos sabemos que o JCast é um podcast muito sério. Adoramos economia, política e todos esses assuntos chatos. Praticamente um Jornal Nacional nipônico. Pois é nesse mood que descrevemos como as eleições acontecem no Japão, traçamos a situação atual da nossa amada ilha e avacalhamos com tudo, como sempre. E esperem, não termina por aqui! Na próxima edição teremos a continuação desse podcast, e sua verdadeira razão de existir: a bizarra Happy Science, uma das várias novas religiões que vivem pipocando no Japão, e seu partido, o Happy Realization Party, em uma detalhada análise de sua milagrosa plataforma política. Não se enganem, é um podcast mais cômico do que informativo.

EDIT: E pra quem reclamou, no post anterior: [email protected]. Esse é o nosso email, mandem feedback! No novo site vamos colocá-lo em destaque, mas por enquanto fica aqui nos posts mesmo.

O JCast Mark I #11 foi embalado ao som de:

Yuko Ando – Shabon Songs

Essa foi o Dyego que me apresentou, lá no 1.0 ainda. A jovem (e gatinha) Yuko Ando, com seus 32 anos, é de uma label da Avex, a Cutting Edge. Mas não se enganem; vocês não vão encontrar aqui aquele pop chiclete que tanto me dá ânsia de vômito. Ando segue a linha de sua inspiração, Chara, com uma baladinha de voz doce. Apaixonante.

Play

JCast Mark I #10 – Parte 3

JCAST MARK I# 10! Atingimos novamente os dois dígitos, pessoas, nunca deveríamos tê-los abandonado! O bom de demorarmos tanto para lançar um novo episódio, é que cada programa acaba soando como um recomeço. Ou seja, cada episódio do Jcast é épico, cheio de gás, e totalmente diferente do anterior, em termos de formatação, edição, e empolgação. Às vezes pra mais, às vezes pra menos, mas ainda sim diferente, o quão legal isso é pra vocês? Lógico, alguém com bom senso nos acusaria de inconsistência, preguiça, irresponsabilidade, ainda mais que quebramos todas as regras podcásticas mundiais e lançamos um episódio DE 3 HORAS DE DURAÇÃO! Celulares, tremam nas bases, mp3 players de 256 Mb morram de inveja dos Ipods de 16 GB, pois chegamos pra arrebentar! E torçam, pois temos esse histórico de nunca mais voltarmos depois de passar do número dez, então acendam suas velas pra Kami Sama, e até o próximo!!!

Crise e atual mercado de animes no mundo

Ninguém aguenta mais falar de crise, mas cá estamos nós falando nela. Ainda bem que crise não existe para nós, com ou sem ela, a caixinha de Bis ainda é R$ 3,50 aqui na cidade, e o que um homem precisa pra ser feliz além de chocolate e coca-cola? Bem, animes, lógico, e por isso estamos preocupados! Se ninguém mais consumir essa droga, o que estaremos assistindo no futuro? A quadragésima terceira temporada de Os Simpsons? A Novas Aventuras do Bob Esponja? Reprises do Pica-Pau? Se ainda fossem novos episódios do Zé Colméia a coisa seria mais suportável, mas com um Live Action do ursão à caminho, nosso futuro é tenebroso. Então juntem-se a nós nesse desesperado discurso.

Nota do Darko: O nome da música da YUI é AGAIN, não ALIVE. Desculpem minha caduquice, pelo menos eu ainda sei escrever essa palavra…eu acho.

Emails com tudo aquilo que suas mentes insanas forem capazes de conceber podem e devem ser enviados para [email protected]. Confiram também o nosso blog.

Play

JCast Mark I #10 – Parte 2

JCAST MARK I# 10! Atingimos novamente os dois dígitos, pessoas, nunca deveríamos tê-los abandonado! O bom de demorarmos tanto para lançar um novo episódio, é que cada programa acaba soando como um recomeço. Ou seja, cada episódio do Jcast é épico, cheio de gás, e totalmente diferente do anterior, em termos de formatação, edição, e empolgação. Às vezes pra mais, às vezes pra menos, mas ainda sim diferente, o quão legal isso é pra vocês? Lógico, alguém com bom senso nos acusaria de inconsistência, preguiça, irresponsabilidade, ainda mais que quebramos todas as regras podcásticas mundiais e lançamos um episódio DE 3 HORAS DE DURAÇÃO! Celulares, tremam nas bases, mp3 players de 256 Mb morram de inveja dos Ipods de 16 GB, pois chegamos pra arrebentar! E torçam, pois temos esse histórico de nunca mais voltarmos depois de passar do número dez, então acendam suas velas pra Kami Sama, e até o próximo!!!

Fujoshi

Já falamos desse tema no passado, por alto, mas sempre retornamos. Entendem porque temos que falar coisas de homem de vez em quando? Pelo menos quem se queimou aqui foi a Glassy, já que ela é uma representante perfeita dessa categoria de garotas quase inexistente no Brasil. Para a alegria das mães, já que a razão número um para uma garota vestir essa camisa é irritar seus pais.

Um caminhão de moe!

Famoso bloco da humilhação pública e danação eterna. Escutem dois caras babando em cima de imagens mentais idealizadas de garotas com óculos, meias rasgadas, esfolados no joelho, e lábios leporinos. Tá bom, as taras que expusemos na gravação já são perturbadoras demais, e eu ainda estou aumentando. Nossas mentes são um poço sem fundo de imagens distorcidas e perversas. Pra piorar, nós ainda gostamos disso.

Emails com tudo aquilo que suas mentes insanas forem capazes de conceber podem e devem ser enviados para [email protected]. Confiram também o nosso blog.

Play

JCast Mark I #10 – Parte 1

JCAST MARK I# 10! Atingimos novamente os dois dígitos, pessoas, nunca deveríamos tê-los abandonado! O bom de demorarmos tanto para lançar um novo episódio, é que cada programa acaba soando como um recomeço. Ou seja, cada episódio do Jcast é épico, cheio de gás, e totalmente diferente do anterior, em termos de formatação, edição, e empolgação. Às vezes pra mais, às vezes pra menos, mas ainda sim diferente, o quão legal isso é pra vocês? Lógico, alguém com bom senso nos acusaria de inconsistência, preguiça, irresponsabilidade, ainda mais que quebramos todas as regras podcásticas mundiais e lançamos um episódio DE 3 HORAS DE DURAÇÃO! Celulares, tremam nas bases, mp3 players de 256 Mb morram de inveja dos Ipods de 16 GB, pois chegamos pra arrebentar! E torçam, pois temos esse histórico de nunca mais voltarmos depois de passar do número dez, então acendam suas velas pra Kami Sama, e até o próximo!!!

Josei e Kodomo

Seguindo nossa explicação sobre os estilos, falaremos de mangá pra mulherzinha. Em uma frase já acabei com a credibilidade toda que poderíamos ter pra falar desse assunto, reparem bem. Mas entendam, todo mundo já acha que a gente é gay por estarmos falando em um microfone de cara pro computador, sobre garotas apaixonadas e caras metrossexuais, enquanto todos os outros rapazes da nossa idade coçam o saco e cospem no chão. Deixem-nos ser preconceituosos nessas linhas pelo menos, e não peçam mais que isso.

Burakumin

Se a Glória Perez fizesse uma novela sobre japoneses, algumas coisas não iriam faltar: algumas cenas gravadas no Japão, depois substituidas por um bairro japonês no projac, dentro de uma cidade reciclada do nordeste. Personagens japoneses estereotipados, falando português intercalado com três gírias em japonês usadas pra virar bordão, mas que nenhum japonês de fato fala. E, claro, Burakumins. Ainda não sabem o que eles são? Escutem nossa explicação!

Emails com tudo aquilo que suas mentes insanas forem capazes de conceber podem e devem ser enviados para [email protected]. Confiram também o nosso blog.

Play

JCast Mark I #9 – Parte 2

Jcast MarkI #9 chegando, e se preparem porque nós adoramos o som de nossa própria voz. Depois de uma espera sofrida, essa nova edição chega com uma pitada de cada uma das coisas que ocupam as mentes dos Otakus. Não você, que fica em fila de evento com orelhas de gato postiças, e fazendo “kyaaaaa” para os transeuntes, você não é um otaku, seu problema é outro. E é curável, com medicamento apropriado e sexo, o que de fato te põe acima dos otakus verdadeiros. Não se ofenda, portanto.

Moe: Dere Dere, Tsun Tsun, Tsundere e Yandere

Tsun-Tsun, Derê Derê! Tsun-Tsun, Derê Derê!  Mais um capítulo, falando de Moe! Pra você! Vaaaaaaai, ordinária!

Kagrra,

Você pode estar Kag… ok, vou resistir e não farei essa piada. Uma pena, porque realmente não me ocorre nada mais criativo pra dizer a respeito desse bloco. Enfim, atemo-nos ao básico: Glassy dá uma aulinha esperta sobre essa banda irada que junto com seus amigos vão viver altas aventuras aqui no Brasil, mês que vem. Influências, música, trajetória, um bloco obrigatório pra quem está, como eu, tentando virar fã a tempo do show.

Controvérsia da Sucessão Imperial Japonesa

Parafraseando Seu Madruga, o poder “mata a alma e envenena”. Ainda mais quando você descende do Sol, e naturalmente tem fogo no rabo. Desrespeitos a parte, mesmo porque a Princesa Aiko não merece, pelo menos até virar adolescente e ficar nojenta, aqui desvendamos os motivos de uma recente briga na casa Imperial Japonesa. Os filhos de Amaterasu andam meio esquentadinhos, e eu não me canso de fazer esse tipo de trocadilho.  Quem acha que eles devem parar de pensar tanto no futuro, erga a mão.

É hora de dar tchau, e se você curtiu esse episódio, mande um email! [email protected], ou deixe-nos uma mensagem de voz, grave, anexe seu mp3 e nos envie. Feedback nunca faz mal a ninguém, a menos que você seja advogado de alguma das partes ofendidas acima. Se assim for, pegue uma senha, e aguarde na sala de espera. Nós temos Caras e turma da mônica, a clássica, lógico.

Vídeo zuando a controvérsia

Emails com tudo aquilo que suas mentes insanas forem capazes de conceber podem e devem ser enviados para [email protected]. Confiram também o nosso blog.

Play