in Fala Série

Fala Série Chris #47 – Casados…Com Filhos

Olá, amiguinhos!

Sejam bem-vindos a mais um FALA SÉRIE CHRIS, podcast com o universo das séries televisivas mais bacanas, fofinhas ou bizarras, apresentado por Chris Marques!

Nesta semana temos convidados! Ela recebe Lucas Stunts para falar de Um Amor De… digo, digo, Married… With Children!, a série do mestre Al Bundy!

DURAÇÃO: 70 minutos.

Reproduzir
  1. Eita, revelações no Fala Série Chris, eu acho que morei fora do planeta por uma década, sim, eu realmente nunca assisti um episódio de “Married… With Children!”, se assisti eu realmente não me lembro da série….rs
    Mas tai, depois de rir muito com o cast eu decidi colocar na minha longe lista de séries para assistir… não ta muito facil de ver não, mas ainda assim eu pretendo assisti-lá assim que possivel!
    O cast estava ótimo como sempre!

  2. Sobre Futurama, eu também ACHO que a dubladora brasileira da Leela era a mesma da Peggy Bundy, mas não lembro dela ter mudado ao longo da série.

    E a primeira mudança de voz do Bender foi por um motivo inevitável: o primeiro dublador faleceu entre a dublagem de uma temporada e outra.

  3. HEREGE, hahaha, tô brincando.

    Eu ADORAVA assistir a série, que passava DUBLADA na época que a TVA abria o sinal no canal UHF diaramente às 20h (horário que exibiam a série, no canal). Todo mundo em casa parava o que estava fazendo para poder assitir o episódio do dia. Adorava! E o dublador do David Faustino foi o Goku (Wendel Bezerra)! 😀

  4. De acordo com a Wiki: “The DVD box sets from Season 3 onward do not feature the original “Love and Marriage” theme song in the opening sequence. This was done because Sony was unable to obtain the rights to the theme song. It is highly unlikely that the theme song will return in any yet to be released DVD box set.”

    E sim, a música é cantada pelo Frank Sinatra 😉

  5. Poxa, vou dizer, essa série é a sitcom que eu mais gosto de assistir. Eu também via pelo sinal liberado da TVA, onde as vezes também liberavam making off de filmes, como Exterminador do Futuro 2. Só tinha um porém, o sinal sumia quando tinha horário político, era minha maior decepção.
    O Steve saiu da série, pois ganhou um seriado próprio, aparecendo em poucos episódios mais para frente na série.
    O Matt LaBlanc quase participou de um Spin Off da série, porém, não teve retorno no episódio que ele aparece que só conta com pequena participação do Al Bundy.
    A Fox quando lançou seu canal pediu programas que fosse diferentes de tudo que era exibido até então, que teria que conter forte sarcasmo, sem qualquer piedade com o corretamente político e sim, foi uma inspiração para o início de Os Simpsons. segundo o próprio Matt Groening em declaração em uma entrevista, tanto que a família Bundy já apareceu em alguns episódios de Os Simpsons.
    Uma coisa que eu achava legal era a família unida brigando com outras famílias, era muito hilário. O menininho chato some no meio da série, pois tudo que ocorreu com ele, nada mais foi do que um sonho do Al Bundy.
    Com o passar do episódios, vimos a série mostrar situações impossíveis, como uma máquina cair na cabeça do bud e ele só ficar sangrando, ou quando o Al Bundy leva choque e fica aparecendo os ossos dele e ele fica magnetizado. Tem um episódio que o Al fica caçando um coelho da sua horta, transformando o episódio em um live action com características de desenhos americanos clássicos dos Looney Tunes.
    Já escrevi um mega texto, mas sou muito fã dessa série, pesquisando a fundo tudo relacionado a ela, valeu!!! ^^v

  6. Nossa! Passava dublado mesmo! Nem me lembrava desse pequeno detalhe… rs…

    Era legal, pois nem todo mundo tinha tv por assinatura na época e a tva tentava “conquistar os clientes” abrindo o sinal de sua série mais legal. Bons tempos…

  7. A legião de fãs de Al Bundy e cia é mesmo enorme!

    Sem dúvida a série foi pioneira no estilo de humor (e até nas bizarrices) e não se viu nada semelhante desde então.

    Obrigada pelo comentário e pelas curiosidades!

  8. Na época a TVA ainda nem comercializava TV paga. Só havia a Globosat, via parabólica. E eles sequer tinha alguma programação, só essa faixa de horário entre 20h e 21h, passando a série e alguma outra coisa depois. O resto do dia ficava só com o logo TVA no fundo azul, sem nada passando. Naquela época eles transmitiam quase tudo aberto, então vi muitos filmes da HBO (canal 54) e alguns esportes da ESPN (48). Era tudo uma grande novidade 😀

Comments are closed.